Mau rico

Mau rico outrora
Renasci sapateiro
Lutei pelo que esbanjara
Dinheiro, muito dinheiro

Vida dura tive
A engraxar sapatos
P’ra criar a família
E ter algo nos pratos

Tantos filhos tive
Quantos roubei
Um deles, o pior,
Nesta vida o enterrei

Mulher ditosa
Me amparou na vida
Foi bombeira da família
Nesta vida sofrida

Ah meus amigos
Se soubessem o que agora sei
Jamais roubariam
Nem que fosse um único rei

Consciência em paz
É algo impagável
Não se compra ao capataz
É sensação inigualável.

Eu, Sebastião
Vos digo, amigos,
Sede sempre honrados
P’ra não cairdes nestes perigos

Hoje sou feliz
Aceitei minha expiação
Engraxei muito sapato
Em humilde situação

Estou agora em paz
Preparando vida nova
Para aprender outras coisas
Para me pôr de novo à prova

Se eu puder escolher
Quero ser pobre novamente
Não vá cair de novo
E de novo ficar “demente”.

Honrem sempre
A vossa profissão
Seja rica ou pobre
Importa é a rectidão

Sebastião
Psicografia recebida por JC na reunião mediúnica do CCE, C. Rainha, Portugal, em 20 DEZ 2011

Anúncios