O Desanimado

José o desanimado
Só tinha preocupação
Para onde olhava
Via apenas perseguição

O desânimo invadira
O seu coração
E fosse o que visse
Só via escuridão

Cuida-te amigo
De tamanha maldição
O desânimo é praga
Que amarfanha o coração

Quando ele se insinuar
Pára, faz uma oração
Confia na espiritualidade
Ilumina-te e ao teu irmão

Jamais te entregues
Ao terrível inimigo
O desânimo na vida
Põe a vida em perigo

Quem em Deus confia
Jamais desanima
Pois sabe que Jesus
Será sempre seu guia.

Poeta alegre

Psicografia recebida por JC na reunião mediúnica do CCE, C. Rainha, Portugal, em 27 DEZ 2011

Anúncios