Resposta ao jornal “O Mirante” – 30 Março 2017

DIRECTOR DE “O MIRANTE”
omirante@omirante.pt

30 de Março de 2017

Assunto: Carta ao director – pedido de esclarecimento

Exmº Senhor,

As nossas mais cordiais saudações.

Tendo saído na vossa edição de 30 de Março de 2017, uma peça sobre uma burlona que é por vós apelidada de “falsa espírita”, e pelo respeito pelos vossos leitores e pela verdade, vimos esclarecer o seguinte:

1 – Esta notícia nada tem a ver com a Doutrina Espírita.

2 – Os espíritas são pessoas sérias, honestas, que têm os seus empregos, famílias, obrigações sociais, e que se dedicam gratuitamente, nas suas horas vagas, ao estudo, prática e divulgação da doutrina espírita, numa atitude filantrópica, desinteressada e dentro da moral cristã.

3 – Os espíritas não têm consultório aberto, não cobram dinheiro, não aceitam dinheiro em troca das suas actividades e muito menos publicam anúncios prometendo a cura de tudo e mais alguma coisa. Os espíritas nada têm a ver com charlatães ou médiuns comerciantes.

Nesse sentido, a referida notícia, bem como outras que vêm aparecendo nos “media”, nada mais publicitam do que algo que NADA TEM a ver com Espiritismo, que é uma ciência filosófica de consequências morais.

Respeitosamente,

P’lo Centro de Cultura Espírita

Amélia Reis

(presidente)

Anúncios